Aumentar fonte:

Número de investidores com aplicações no Tesouro Direto cresceu 52,76% em 2019

Em média, foram mais de 34 mil novos investidores ativos por mês, em ano marcado pela modernização do site e pela queda do spread do Tesouro Selic

Base de Investidores

O total de investidores ativos no Tesouro Direto, isto é, aqueles que atualmente estão com saldo em aplicações no programa, atingiu a marca de 1.201.181 pessoas ao fim de 2019. Foram 414.863 novos investidores ativos, o maior crescimento da série histórica, com média mensal de 34.572 pessoas. Em comparação com 2018, o crescimento de investidores ativos foi de 52,76%.

Já o número de investidores cadastrados alcançou a marca de 5.626.333, com o incremento de 2,51 milhões de pessoas em 2019, equivalente à média de 209.419 novos cadastros por mês. Em comparação com 2018, o crescimento de investidores cadastrados foi de 80,72%.

A participação feminina cresceu de 29,64% em dezembro de 2018 para 31,37% em dezembro de 2019, um novo recorde. A fatia dos investidores na faixa etária de 16 a 25 anos também alcançou o maior valor da série: 18,75%. Esses resultados refletiram o esforço do Tesouro Nacional de fomentar o Programa Tesouro Direto como uma oportunidade de investimento para todos os grupos da sociedade brasileira.

Operações de Investimento

Em dezembro de 2019, foram realizadas 397.962 operações de investimento em títulos do Tesouro Direto, no valor total de R$ 1,82 bilhão. Durante o mês, os resgates foram de R$ 1,98 bilhão, valor apenas de recompras, dado que não houve vencimentos. Dessa forma, houve resgate líquido de R$ 159,65 milhões no mês.

No ano de 2019, o número total de operações foi de 5,51 milhões, uma média de 459 mil por mês. Trata-se de um recorde histórico, que representa um crescimento de 105,01% em comparação com 2018. As emissões somaram R$ 30,88 bilhões, com crescimento de 72,09% em relação ao ano anterior.

Por sua vez, os resgates somaram R$ 30,91 bilhões, sendo R$ 21,32 bilhões em recompras e R$ 9,59 bilhões em vencimentos. Em comparação com 2018, o crescimento de resgates foi de 83,58% (R$ 16,84 bilhões).

Dessa forma, houve resgate líquido de R$ 33,28 milhões em 2019. É um resultado diferente do observado em 2018, quando o Programa registrou emissões líquidas no valor de R$ 1,10 bilhão.

Em 2019, 65,01% de todas as operações de investimento no Programa envolveram valores até R$ 1 mil. Esse resultado seguiu uma tendência de aumento da participação de pequenos investidores, em especial quando comparamos com os percentuais dessa faixa de investimento em 2017 (51,27%) e 2018 (60,24%).

Os títulos mais demandados pelos investidores no ano passado foram os indexados à taxa Selic, que totalizaram R$ 14,16 bilhões, ou 45,84% das vendas. Os títulos indexados à inflação somaram R$ 11,39 bilhões e corresponderam a 36,89% do total, enquanto os títulos prefixados totalizaram R$ 5,33 bilhões em vendas, ou 17,27% do total.

Em 2019, a maior parcela de vendas se concentrou nos títulos com vencimento entre 5 a 10 anos, com 70,53% do total. Em seguida, os títulos com vencimento acima de 10 anos corresponderam a 18,09%, enquanto os títulos com vencimento de 1 a 5 anos representaram 11,38% do total no ano.

Estoque

Em dezembro de 2019, o estoque do programa fechou em R$ 59,65 bilhões, um crescimento de 0,78% em relação ao mês anterior (R$ 59,18 bilhões). Em relação a dezembro de 2018, o crescimento do estoque foi de 9,98%.

Os títulos remunerados por índices de preços se mantiveram como os mais representativos do estoque, somando R$ 28,92 bilhões, ou 48,49% do total. Na sequência vieram os títulos indexados à taxa Selic, totalizando R$ 19,86 bilhões (33,29%), e os títulos prefixados, que somaram R$ 10,87 bilhões, com 18,22% do total.

Novidades 2019

Em abril de 2019, o Tesouro Direto deu mais um passo importante na redução dos custos de aplicação no Tesouro Selic, reduzindo a diferença entre a taxa de investimento e a taxa de resgate – conhecida como spread de compra e venda – do Tesouro Selic de 0,04% para 0,01% ao ano, o que na prática tornou o investimento nesse tipo de título mais rentável.

Em setembro de 2019, o Tesouro Nacional, em parceria com a B3, lançou o novo site do programa Tesouro Direto. O novo portal alinhou-se às melhores práticas do mercado ao trazer melhorias no formato de navegação e na apresentação dos títulos, simplificar conceitos e facilitar o acesso a algumas seções, como a de dúvidas frequentes. Além disso, o passo a passo de como investir ficou mais claro e a interação com o simulador, mais amigável. O conteúdo do programa também ganhou evidência e passou a ter novos materiais e vídeos, além de proporcionar aos investidores melhor experiência e entendimento do funcionamento do investimento em títulos públicos federais.

Em dezembro de 2019, foi lançado o novo site transacional do Tesouro Direto, no qual ocorrem as operações diretas de investimentos e resgates de títulos públicos federais pelas pessoas físicas. Com design moderno e que se ajusta a diversos dispositivos móveis, ficou ainda mais fácil para o investidor acompanhar e realizar seus investimentos e resgates no TD, de forma totalmente digital.

O balanço completo do Tesouro Direto está disponível em https://www.tesourotransparente.gov.br/publicacoes/balanco-do-tesouro-direto-btd